Parcerias:

(38) 3690-6600
(38)9 8826-9082

Acadêmicos de Psicologia participam de bate papo sobre experiências de estágio




Na tarde da última segunda-feira, 14 de junho, acadêmicos do 6° período do curso de Psicologia Fasi participaram de bate papo sobre vivências do Estágio Básico I, supervisionado pelo professor e psicanalista, Antônio César Silva. O estágio tem como foco acompanhar adolescentes em período estudantil e tirar dúvidas sobre conflitos internos, problemas relacionados à orientação sexual, entre outros.

No episódio, o preceptor deu boas-vindas aos acadêmicos, adolescentes e seus acompanhantes/responsáveis e falou sobre a importância deste contato; tanto para o desenvolvimento do jovem, quanto para a formação acadêmica dos estudantes.

Segundo Antônio César, “o objetivo do estágio é promover o desenvolvimento humano do adolescente. O acompanhamento permitirá que ele responda algumas questões relacionadas a sua vida, rotina, conflitos e inseguranças”. E completa: “esse semestre, devido a pandemia, o estágio ocorreu de forma remota, então, tivemos uma experiência ímpar, pois o adolescente não estava na escola; como normalmente acontecia. Mas ficamos extremamente felizes com o resultado, houve uma participação fantástica e muito apoio dos pais”, explica o preceptor.

Uma das acadêmicas que participou da experiência, Sara Freitas Baldez, falou sobre as dificuldades e pontos positivos que encontrou com os atendimentos no formato remoto. “É a primeira vez que estou estagiando e a questão de ser remoto foi um pouco mais tranquilo para mim, me senti mais confortável, também pela questão da segurança. Porém, o contato é um pouco limitado no início, principalmente pela adolescência ser uma fase mais difícil, com assuntos mais conturbados; mas ao longo das sessões, criamos um vínculo e os temas fluem com mais facilidade. Em geral, eu gostei muito do estágio, confesso que estava ansiosa para ter essa experiência e posso dizer que acrescentou muito para minha vida acadêmica”.

Com o contexto da pandemia, a procura por profissionais da área de Psicologia aumentou consideravelmente. Em um cenário de incertezas, o psicólogo auxiliou a sociedade a enfrentar o isolamento social e se consolar de tantas perdas. A acadêmica Sara comentou sobre seu ponto de vista em relação ao aumento da valorização do psicólogo. “Eu sempre trouxe para a minha vida e sempre levei para outras pessoas o quanto é importante o trabalho de um psicólogo. E, diante deste cenário de pandemia, teve muita valorização da área. Porém, é algo que nem todo mundo tem acesso”. E completa: “a terapia de fato ajudou muitas pessoas nos últimos anos. Infelizmente, essa procura aumentou somente diante de uma situação ruim; mas ficamos felizes em poder ajudar e ter essa valorização”, explica Sara.

Há anos atuando na área, o preceptor Antônio César também ressaltou sobre o aumento da procura pelo profissional e sobre os cuidados que os profissionais que atuam de forma remota precisam ter. “Os atendimentos online foram liberados pelo Conselho Federal de Psicologia há alguns anos, mas eu tinha uma resistência muito grande em atuar nesse formato. Com a pandemia, eu tive que me adaptar e houve uma procura significativa. Creio que a partir de agora, muitos pacientes vão preferir esse formato; mas sou um pouco exigente e prefiro que, pelo menos as primeiras consultas sejam presencial e, após, eu passo para o online, desde que eu entenda que o paciente tenha um espaço reservado em casa. Pois não temos um controle se de fato ele tem essa privacidade, mas esses são fatores que acredito que serão investigados. Pelo fato da privacidade do profissional, pois não temos garantia de que a pessoa atendida esteja gravando a conversa Porém, minha experiência no momento tem sido muito positiva”, finaliza.


Publicada em: 17/06/2021
Tags: